Os segredos do ilusionismo

Davinia Maestre tem 26 anos e um hobbie, o ilusionismo; gosto que aprendeu do irmão, que agora é prestidigitador profissional.

Testemunhos

O gosto pelo ilusionismo esteve sempre presente na minha vida. O meu irmão, que agora se dedica profissionalmente a essa arte, desde pequeno contagiou toda a família com este hobbie. Passava o dia a dizer: “Vem ver como me saí…” e claro, a olhar acaba-se por aprender.

O ilusionismo é uma profissão muito bonita, porque se consegue com ela criar ilusões, fazer com que as pessoas desfrutem e mergulhem num mundo em que possam, pelo menos durante algum tempo, esquecer as preocupações, descansar… Como nos filmes, pode fazer-se tudo o que se queira: que com um simples estalido de dedos se ordenem uns objectos, olhar para um quadro e aparecer dentro dele…, e isto diante dos nossos próprios olhos.

É o mesmo que pretendo conseguir com o meu trabalho. Sou numerária auxiliar e trabalho na administração de um Centro do Opus Dei. Com o cuidado de mil detalhes que passam desapercebidos aos olhos das pessoas, como sucede com os truques do ilusionismo, posso surpreender! Fazer com que as pessoas cheguem à sua casa e se sintam bem, se esqueçam, por momentos, de tudo o que têm que fazer e possam passar um tempo bom em família.

Dizia um prestidigitador conhecido, que uma pessoa não se dedica a esta profissão para ser famosa ou ganhar muito dinheiro, mas porque desfruta a fazer algo que diverte os outros. Penso que este ideal deveria estar presente não só no trabalho, mas em todos os momentos do dia de qualquer pessoa. Aprendi isto de São Josemaria. Sempre me chamou a atenção uma frase sua que penso que está presente em muitos dos seus ensinamentos, dita de uma ou de outra maneira: "Dar-se ao serviço dos outros é de tal eficácia, que Deus o premeia com uma humildade cheia de alegria".

'No meu trabalho e com os meus “hobbies”, muitas vezes na minha vida comprovei que somos realmente felizes quando nos esquecemos de nós próprios e nos damos aos outros'

No meu trabalho, com os meus hobbies, muitas vezes na minha vida comprovei que somos realmente felizes quando nos esquecemos de nós próprios e nos damos aos outros. Posso acrescentar a isto que, no meu trabalho diário, também rezo pelas pessoas que sirvo, porque o principal espectador,para quem actua neste cenário, é Deus. E isto é para mim procurar a santidade: Fazer o que mais me agrada vendo Deus em tudo. A Virgem dedicou toda a sua vida a isso e imagino que também Ela teria os seus hobbies… 

É verdade, que tudo isto requer sacrifício. No caso do ilusionismo, é muito importante fazer com que a “ilusão” pareça real. Para isso é necessária habilidade e esta adquire-se praticando, repetindo, uma e outra vez, o mesmo truque. Todo este esforço é recompensado quando se vê as caras de concentração das pessoas vendo como um lenço muda de cor, ou como aparecem coisas e as fazemos desaparecer. 

Por último, um conselho: Quando assistirem a um espectáculo de ilusionismo, não procurem descobrir o truque, imaginem antes que o que estão a ver é verdadeiro: É a melhor forma de desfrutar do espectáculo.