De regresso a Roma, com a cabeça e o coração na Colômbia

Nos meses de julho e agosto, Mons. Fernando Ocáriz visitou diversos países da Europa para estar com fiéis e amigos da prelatura. Regressou a Roma no passado dia 5 de setembro.

Do Prelado
Opus Dei - De regresso a Roma, com a cabeça e o coração na Colômbia

No seu regresso, Mons. Ocáriz celebrou a Santa Missa na igreja prelatícia de Santa Maria da Paz, onde repousam os restos mortais de S. Josemaría.

Num encontro que teve com pessoas de diferentes países, que estes dias se encontram na Cidade Eterna, fez referência à viagem do Papa à Colômbia e animou a que o acompanhassem com a oração: «Podeis imaginar o peso que tem em cima e pede sempre orações, porque sente a necessidade da oração. Temos a obrigação gostosa de o apoiar».

Perante uma pergunta sobre como ser capazes de amar os outros com todo o coração, respondeu: «Há que ver o Senhor nas pessoas e ter sempre na mente o que o próprio Jesus nos disse: "Aquilo que fizerdes a algum destes, fazei-lo por Mim"». Por vezes, continuava Mons. Ocáriz, «pode acontecer-nos que sintamos que nos falta capacidade para amar de verdade toda a gente. Nesses momentos, peçamos ao Senhor que nos dilate o coração: saber interessar-nos pelos outros, querer o bem dos outros, desviver-nos pelos outros. É algo sabido, mas as coisas que já sabemos e que são espiritualmente óbvias é bom recordá-las com frequência. Como dizia um filósofo, "com frequência nos esquecemos do óbvio, e assim andamos". E o mais óbvio sobrenaturalmente deve ser — pela fé — o amor que Deus tem por nós, e às vezes esquecemo-nos disso».

Antes, comentando el Evangelho do dia, o prelado tinha sugerido pedir «ao Senhor que nos fortaleça a fé, a fé no seu amor por nós, a fé em que Ele está no meio da nossa vida, que ele guia a nossa vida, que nos deu a luz que dá sentido a tudo o que fazemos, que nos guia no caminho por difíceis que, em certas ocasiões, nos possam parecer as circunstâncias ou os trabalhos».